Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Banner estatico portal 960 x 100

Início do conteúdo da página
INOVASUS

Iniciativas inovadoras no SUS são premiadas e recebem R$ 1,3 milhão

Escrito por amanda.costa | | Publicado: Quarta, 20 de Novembro de 2019, 21h30 | Última atualização em Sexta, 22 de Novembro de 2019, 16h51

Projetos do Pará, Manaus (AM), Guarulhos (SP), São Paulo (SP) e Pelotas (RS) melhoraram a organização do atendimento à população e o uso de recursos públicos e são os vencedores do InovaSUS

Foto: Floriano Rios / ASCOM MS

As cinco iniciativas inovadoras em gestão nos serviços de saúde receberam nesta quarta-feira (20), em Brasília (DF), R$ 1,2 milhão do Ministério da Saúde, em reconhecimento a práticas que melhoraram o atendimento prestado à população e o uso de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS). O prêmio InovaSUS foi entregue pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, aos representantes das secretarias estaduais de saúde do Pará e das secretarias municipais de saúde de Manaus (AM), Guarulhos (SP), São Paulo (SP) e Pelotas (RS). Durante a cerimônia, foi oferecido ainda um bônus de R$ 100 mil ao estado do Pará, pela melhor administração de recursos do SUS, totalizando R$ 1,3 milhão em premiações.

"Todos os que participaram desse prêmio tem o nosso reconhecimento. O SUS é um conjunto de saberes, uma história de construção. Ainda é um sistema muito novo, só tem 30 anos. Mas o SUS está no caminho certo. E hoje é dia de reconhecer que o SUS é feito por pessoas, com bons projetos e boas ideias. O desafio agora é replicar essas experiências ganhadoras. É pensar: será que essa sua ideia que aconteceu nesse universo local pode ser aplicada na cidade vizinha, no estado, no Brasil, no mundo?", avaliou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

Para inspirar os gestores do SUS e profissionais de saúde, o indiano Hitendra Patel, que é referência mundial na área de inovação, falou aos presentes sobre tendências globais na saúde. Patel é professor de inovação na Universidade de Toronto, no Canadá, e fundador da IXL Center – consultoria eleita pela revista Forbes entre as 20 melhores empresas para inovação e crescimento de negócios no mundo.

Cada um dos cinco vencedores recebeu R$ 250 mil e concorreu ao extra de R$ 100 mil – premiação criada em homenagem e em comemoração ao cinquentenário do Fundo Nacional de Saúde (FNS), que administra os recursos do SUS na esfera federal e repassa às secretarias de saúde estaduais e municipais.

Neste ano, o Ministério da Saúde recebeu 194 inscrições de todos dos estados. Foram selecionadas 94 propostas e, destas, saíram as cinco vencedoras consideradas como as melhores práticas, segundo os requisitos do edital. Ao todo, desde a primeira edição em 2011, já foram inscritos 1.565 trabalhos com 112 premiados.

INOVASUS

O Prêmio INOVASUS está em sua 7ª edição e identifica, reconhece e premia a inovação na gestão do SUS em projetos que contribuem para a melhora dos indicadores de atendimento à população pautadas pela melhor relação custo-benefício. A ideia é que essas iniciativas sejam conhecidas e possam inspirar outros municípios do país.

O prêmio é uma iniciativa da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), do Ministério da Saúde. A secretária da pasta, Mayra Pinheiro, destacou que a ideia é valorizar os profissionais que querem fazer diferença no Sistema Único de Saúde. "O nosso objetivo é construir, junto com os profissionais do SUS e com a sociedade, soluções inovadoras. Precisamos encontrar soluções para o Brasil que vem mudando o perfil da saúde", apontou Mayra.

O INOVASUS possui cinco categorias:

1) Gestão Solidária, ou seja, ações que beneficiam mais de uma localidade.
2) Educação e Segurança do Trabalho, relacionada à qualificação de profissionais do SUS e proteção do trabalhador.
3) Saúde Mental do Trabalhador da Saúde, que diz respeito à promoção da saúde dos profissionais do SUS.
4) Gestão Administrativa, que está relacionada a melhorias nos processos de gestão de pessoas.
5) Arquitetura Hospitalar sobre a oferta de melhores condições de trabalho relacionadas a disponibilização de estruturas e equipamentos nas unidades de saúde.

Confira as cinco iniciativas vencedoras no INOVASUS 2019

TEMA

INSTITUIÇÃO

PROJETO

Gestão Solidária

Secretaria de Estado de Saúde do Pará

Primeiro Laboratório de Tecnologia Assistiva Hospitalar de Baixo Custo do Brasil: criado no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, consiste no desenvolvimento de próteses para pessoas com deficiência, usando materiais de qualidade e baixo custo, para ampliar a oferta à população.

Educação e Segurança do Trabalho

Secretaria Municipal de Saúde de Manaus

A Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional Aplicada ao Servidor Público da Secretaria de Saúde do Município de Manaus: desenvolvido na sede administrativa da Secretaria de Saúde, o programa permitiu o controle e eliminação de agentes de riscos ambientais que podem causar acidentes de trabalho e doenças ocupacionais, relacionados a estrutura e prevenção de doenças.

Saúde Mental do Trabalhador da Saúde

Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos

Acolhimento como Ferramenta de Apoio às Tensões Emocionais do Trabalhador da Saúde: consistiu na implantação de um Setor de Acolhimento de Saúde do Trabalhador junto ao Núcleo de Saúde do Trabalhador da Saúde para atendimento, registro e encaminhamento das necessidades dos profissionais para evitar adoecimento dos trabalhadores da saúde.

Gestão Administrativa

Secretaria Municipal de Saúde de são Paulo

Sistema de Controle de Agravos do Território – SCAT: criação de um único banco de dados para análise dos casos de arboviroses, como dengue, zika e chikungunya, o que reduziu o tempo de triagem, registro de notificação e início das ações de controle do vetor Aedes aegypti.

Arquitetura Hospitalar

Secretaria Municipal de Saúde de Pelotas

Nova Arquitetura do Pronto Socorro de Pelotas -  Uma Construção Participativa: reforma do pronto socorro com a participação dos funcionários e usuários na criação e execução do projeto, e utilização de mão de obra prisional com doação de material de construção pela população e por empresários.

Abaixo, conheça em detalhes os vencedores do Prêmio InovaSUS 2019

Gestão Administrativa: Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo Fechar

Projeto: Sistema de Controle de Agravos do Território (SCAT)

Autores: João Gabriel Zerba Corrêa e Carolina Beltramini de Carvalho Donola

A Unidade de Vigilância em Saúde de Ermelino Matarazzo, em São Paulo, criou um serviço de gerenciamento único de todas as etapas do processo de controle das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. A iniciativa permitiu maior agilidade e eficiência na prevenção e controle das doenças como zika, dengue e chikungunya.

O Sistema de Controle de Agravos do Território (SCAT) armazena todas as informações necessárias em um só lugar, e pode fazer cruzamento de dados do paciente, unidade de abrangência e o seu território, levantamento de resultados laboratoriais e emissão de diversos relatórios. Assim, o SCAT reduziu o tempo de triagem, registro da notificação e o tempo de início das ações de controle do vetor Aedes aegypti, que antes chegava a 96 horas, para 36 horas após o recebimento da notificação.

Antes, as Unidades de Vigilância em Saúde (UVIS) realizavam as ações de vigilância sanitária, epidemiológica e ambiental de forma separada, o que dificultava a comunicação e a troca de informações e tornava todo o processo mais lento.

 


Saúde Mental do Trabalhador da Saúde: Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos Fechar

Projeto: Acolhimento como ferramenta de apoio às tensões emocionais do trabalhador da saúde

Autores: Sueli de Moraes Silva, Antônia Maria Peres e Silvia Letícia Vieira de Souza

A Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos (SP) implantou um Setor de Acolhimento de Saúde do Trabalhador junto ao Núcleo de Saúde do Trabalhador da Saúde. A ação possibilitou o atendimento, registro e encaminhamento das necessidades dos cerca de 7 mil profissionais da secretaria, quando em situações de adoecimento físico e desgaste mental, assim como nos conflitos profissionais e pessoais, buscando estratégias para enfrentamento dos elevados níveis de adoecimento dos trabalhadores da saúde.

Todas as necessidades são registradas de acordo com uma classificação, que pode ser: conflitos relacionados ao trabalho; conflitos relacionados ao pessoal; e solicitações diversas, que podem ser de transferência ou retorno ao trabalho, em caso de trabalhadores que estavam afastados por auxilio doença ou incapacidade laboral, por exemplo.

Essas informações geram agendamento para consulta psiquiátrica, consulta psicológica, encaminhamento para a seção de seleção e movimentação de pessoal, entre outros. De 2017 para 2018, houve um aumento de 15% no total de acolhimentos realizados pelo setor.

  


Arquitetura Hospitalar: Secretaria Municipal de Saúde de Pelotas Fechar

Projeto: Nova arquitetura do Pronto Socorro de Pelotas: uma construção participativa

Autores: Leandro Leitzke Thurow, Joice dos Santos Gonçalves, Patrick dos Santos Afonso, Ana Lúcia Pires Afonso da Costa, Tania Izabel Bighetti, Suelen da Silva Arduin e Rosana Souza Van Der Laan

A reforma do Pronto Socorro de Pelotas (PSP) contou com três diferenciais: participação dos funcionários e usuários na criação e execução do projeto, utilização de mão de obra prisional e doação de material de construção pela população e por empresários.

A reforma focou a criação de uma estrutura física adequada e contou com as sugestões de funcionários e usuários do PSP e com apoio dos profissionais. Também, de forma inédita, foram observados vários movimentos externos de apoio à reforma, com iniciativas de campanhas de doação de materiais de construção. Uma entidade, por exemplo, doou 90 metros quadrados de porcelanato, outra loja de materiais de construção vendeu a preço de custo ao PSP.

O Pronto Socorro de Pelotas é referência regional para 28 municípios em urgência e emergência cobrindo cerca de 1,5 milhão de habitantes. O PSP conta com 270 funcionários e, em 2018, realizou 92.191 atendimentos.

   


Gestão Solidária: Secretaria Estadual de Saúde do Pará Fechar

Projeto: Primeiro Laboratório de Tecnologia Assistiva Hospitalar de Baixo Custo do Brasil.

Autores: Lucas da Silva Muniz, Tamiris Yrwing Pinheiro Freitas, Vitor de Vilhena Santos, Rafael Ângelo Araújo e Itamar Cabral Monteiro.

Criação do primeiro Laboratório de Tecnologia Assistiva Hospitalar de Baixo Custo do Brasil, com produção de próteses de baixo custo e pautadas na sustentabilidade no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE).

O serviço é oferecido para os pacientes das unidades de terapia intensiva (UTI), unidades de internação, centro de queimados, ambulatório e pronto atendimento. O laboratório utiliza alguns materiais com baixo custo para confecção de órteses e adaptações para as atividades de vida diária, conforme a demanda de fluxo de atendimento na instituição, ampliando habilidades funcionais de pessoas com deficiência e promovendo, assim, a independência e inclusão.

A iniciativa se deu a partir de um aumento da incidência de lesões por pressão (LPP), quando a falta de movimentação causa pressão constante no mesmo ponto, diminuindo a circulação sanguínea do paciente acamado, e pelo aumento na demanda de confecção de órteses para prevenção de deformidades de pacientes com sequelas neurológicas e por conta de queimaduras.

A escolha do modelo e do tipo de material a ser utilizado na confecção da prótese depende da avaliação do terapeuta ocupacional, do quadro clínico do paciente e da gravidade da patologia.

    


Educação e Segurança no Trabalho: Secretaria Municipal de Saúde de Manaus Fechar

Projeto: A segurança do trabalho e saúde ocupacional aplicada ao servidor público da Secretaria de Saúde do Município de Manaus.

Autores: Cleves de Souza Bruce, Mircleide Dias Santana da Silva, Daniel Sampaio Derze e Bruno Freitas Martins Costa.

A Secretaria de Saúde de Manaus desenvolveu e implantou em 2018 o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) na sua sede administrativa. A iniciativa permitiu o controle e a eliminação de diversos agentes de riscos ambientais que podem causar acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.

Várias ações estão sendo realizadas, como o controle de imunizações, a campanha de Prevenção à Hipertensão Arterial Sistêmica, Saúde da Mulher, Campanha de Prevenção de Acidentes de Trabalho, Campanha de prevenção de Diabetes Mellitus, entre outras.

Também são desenvolvidos projetos de mudanças estruturais para incorporar itens de segurança do trabalho e evitar acidentes e melhorar a qualidade de vida dos servidores e usuários. Os atendimentos médicos realizados possibilitam monitoramento contínuo para a saúde dos trabalhadores, sendo atendidos 219 servidores entre junho e dezembro de 2018.

O ambiente de trabalho saudável, almejado pelos dois programas, posteriormente será expandido para todos os Distritos de Saúde, Maternidade Dr. Moura Tapajóz e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), com a implantação de equipes multiprofissionais, sediadas em cada distrito, para atendimento da demanda identificada nos programas para que se possa agir de forma corretiva/preventiva.

   


Assista ao vídeo abaixo


Por Christiana Suppa, da Agência Saúde 
Atendimento à Imprensa
(61) 3315-3580

 

Fim do conteúdo da página