Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Banner estatico portal 960 x 100

Início do conteúdo da página
Relação Nacional de Medicamentos Essenciais - Rename

Relação Nacional de Medicamentos Essenciais - Rename

Escrito por Gustavo Frasão | | Publicado: Sexta, 16 de Agosto de 2019, 11h29 | Última atualização em Segunda, 30 de Dezembro de 2019, 16h27

O que é Rename?

O acesso aos medicamentos essenciais constitui um dos eixos norteadores das políticas de medicamentos (Portaria GM nº 3.916, de 30 de outubro de 1998) e de assistência farmacêutica (Resolução CNS nº 338, de 6 de maio de 2004).

Os medicamentos são a intervenção terapêutica mais utilizada e constituem uma tecnologia que exerce alto impacto sobre os gastos em saúde. Portanto, é fundamental ao Sistema único de Saúde (SUS) que o processo de sua incorporação esteja baseado em critérios que possibilitem à população o acesso a medicamentos mais seguros, eficazes e custo-efetivos, para atendimento aos principais problemas de saúde dos cidadãos brasileiros.

Nesse sentido é que o Ministério da Saúde reafirma a relevância da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename), um elemento técnico-científico que oriente a oferta, a prescrição e a dispensação de medicamentos nos serviços do SUS.

Atualização da Rename 2020

Foram considerados os medicamentos incluídos, excluídos e alterados pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS - CONITEC entre setembro de  2018 a novembro de 2019, e que passaram por pactuação de financiamento na Comissão Intergestores Tipartite - CIT.

  • Inclusões: 39
  • Exclusões: 3
  • Alterações de itens edição 2018: 19
  • A Rename 2020 apresenta-se com 921 itens (medicamentos e insumos).

Confira todas as publicações da Rename

Formulário Terapêutico Nacional - FTN Fechar


 

registrado em:
Assunto(s):
Fim do conteúdo da página